Google Web Toolkit e Eclipse

março 18, 2011

Após instalar, configurar o GWT (Google Web Toolkit) no IDE Netbeans, percebi que esta solução limitaria minhas futuras tentativas de criar sistemas web mais sofisticados.

Ao navegar pela web para procurar novas extensões e novos componentes para enriquecer as possibilidades de desenvolvimento, percebi que o Eclipse apresenta muito mais possibilidades straight out of box (direto da caixa), sem necessidade de grande adaptações ou ajustes.

Portanto, vamos lá.

1) O primeiro passo é baixar e instalar o eclipse

2) Como eu instalei o Eclipse Galileo, o link que ensina a instalar o plug-in é  Google Plugin for Eclipse 3.5 (Galileo) Installation Instructions. Para outras versões, consulte a página Quick Start – Google Plugin for Eclipse.

3) Após utilizar a sofisticadíssima técnica NNF (Next, Next & Finish), o seu IDE Eclipse está pronto para o primeiro teste.

Google Web Toolkit e o NetBeans

março 10, 2011

Estou envolvido em um grande projeto de sistema, dentro de uma das maiores companhias de saneamento do Brasil. Infelizmente, minhas atividades neste projeto não envolvem nenhuma das que mais me dão prazer como o projeto propriamente dito (UML) e codificação, por exemplo, estando totalmente focado na coordenação e administração do desenvolvimento.

Como nem tudo tem apenas um lado bom ou apenas um lado ruim, este trabalho está me proporcionando uma convivência muito rica com desenvolvedores de outras empresas e uma das experiências que mais me tem atraído é o uso do framework Google Web Toolkit. Aproveitando a calmaria do carnaval, resolvi iniciar o estudo deste framework para analisar seu potencial de uso nos projetos da empresa em que trabalho. O único senão, por enquanto, é que verifiquei que a maioria dos desenvolvedores que utilizam o GWT também usam o Eclipse, diferente da nossa plataforma de desenvolvimento baseada em NetBeans.

Portanto, vamos a luta com o NetBeans!

Primeiro passo: instalar o plug-in do GWT no Netbeans

Apesar de existir um tutorial mostrando como instalar o plug-in no Netbeans de forma automática,  no meu micro não funcionou, me obrigando a realizar uma instalação “na unha”.

Primeiro baixei o arquivo org-netbeans-modules-gwt4nb-2.10.0.nbm do seguinte link: http://java.net/projects/gwt4nb/downloads.

Após baixar o arquivo, realizei os passos tradicionais para instalar um plug-in no NetBeans através de um arquivo nbm (NetBeans Module).

1) No meu principal, fui em “Ferramentas” e depois “Plug-in”

Iniciando o processo de instalação do plug-in

Ferramentas -> Plug-in

2) Ir para a aba “Baixados” e depois clicar no botão “Adicionar plug-ins”

Clicar na aba "Baixados" e depois no botão "Adicionar plug-ins"

Clicar na aba "Baixados" e depois no botão "Adicionar plug-ins"

3) Depois que abrir uma nova janela para navegar entre os arquivos, localizar o arquivo “org-netbeans-modules-gwt4nb-2.10.0.nbm” e depois clicar no botão “Instalar”.

Instalando o arquivo nbm

Instalando o arquivo nbm

4) Finalmente, partir para a super sofisticada técnica de informática conhecida como “NNF”, ou “Next, Next & Finish”, que no caso é “Próximo, Próximo, aceitar termos de uso & finalizar”. Não se preocupe porque este processo pode demorar um pouco, devido a necessidade de se fazer um novo download durante o processo de instalação.

Executando a instalação

Executando a instalação

Ao finalizar a instalação, o processo solicita que o IDE (NetBeans) seja reinicializado. Clique em “sim” e pronto, podemos “partir para o abraço”.

Minha intenção original era fazer um post que mostrasse o processo de instalação do plug-in do GWT no NetBeans e um exemplo simples, mas como sei que a maioria dos internautas não tem paciência com textos longos, vou dividir este tópico em dois. Então, por enquanto é só pessoal.

abraços!

Marco

Bubble Sort em C

setembro 11, 2010

Eu havia passado um exercício para ser desenvolvido em C para meus alunos, mas antes de passar o gabarito vi que era melhor discutir um pouco sobre o algotítmo bubble sort. Navegando pela web e utilizando o sábio todo poderoso Google, encontrei este artigo interessante para utilizar como base de nossa solução: http://www.vivaolinux.com.br/script/Algoritmo-de-ordenacao-Bubble-Sort

Fiaz umas pequenas adaptações para tentar deixá-lo um pouco mais didádico. Espero não ter estragado o código original.  🙂

baixar bubble.zip

Hope you enjoy!

Aplicativo Java com ODBC e padrão MVC

setembro 6, 2010

Ao se navegar pela Internet, nos deparamos com uma série de artigos, tutoriais e outros materiais que tratam o assunto MVC (Model-View-Controller).

O padrão MVC

Ao se estudar as diversas fontes de informação, podemos concluir que todos eles acabam chegando em um mesmo ponto: a divisão da aplicação em três componentes especializados.

– Apresentação (telas)

– Controlador (tratamento de eventos e gerenciamento das ações)

– Modelo (Lógica de negócios)

Neste exemplo, vamos desenvolver uma aplicação muito simples que permite inserir dados sobre mídias de músicas em uma base de dados access, através do uso de driver ODBC.

No esquema abaixo, podemos visualizar que existem três classes implementadas em dois arquivos.class e uma base de dados microsoft access conectado através de driver ODBC.


Estrutura das classes, suas relações e a conexão com a base de dados

Os fontes e o arquivo access encontram-se no pacote javamvc.zip. Eu aconselho a utilizar o o IDE JCreator que é leve, fácil de instalar e permite focar apenas na linguagem Java. IDEs mais “potentes” como Eclipse ou Netbeans, exigem maior dedicação para dominar a ferramenta e o ambiente de programação e devem ser utilizadas depois que existir uma certa familiaridade com a linguagem Java.

Depois de instalado, criar um projeto chamado Interface e inserir os códigos dos arquivos que estão no javamvc.zip.

Eu sei que vão existir dúvidas e agradeço se entrarem em contato para maiores esclarecimentos. Será um prazer ajudar aos que navegam por estas páginas.

Abraços

Exemplo prático de VBA no Excel com ODBC e Access

maio 21, 2010

Objetivo: Apresentar uma estrutura básica de aplicações em camadas, utilizando um exemplo prático que permita um breve contato com cada componente deste tipo de aplicativo.

Descrição do exemplo: Desenvolver uma pequena aplicação na linguagem Microsoft Visual Basic for Applications (VBA) como camada de sistema, driver ODBC como camada de conexão e o Microsoft Access como camada de dados.

 

Estrutura do exemplo prático:

Estrutura

 

Primeiro passo:  Criar uma base de dados que permita armazenar alguns registros para poder testar a nossa aplicação.

 

Segundo passo: Configurar uma fonte de dados ODBC que permita fazer a ligação entre a base de dados Access e o código VBA do Excel.

 

Terceiro passo: Codificar uma pequena rotina na linguagem VBA (Visual Basic for Applications) dentro do Microsoft Excel.

 

Conclusão: Este pequeno exemplo tem o objetivo de apresentar uma estrutura simples e de fácil entendimento das principais camadas que compõe uma aplicação de três componentes. A partir deste ponto, podemos imaginar uma série de possibilidades que podem tornar este exemplo útil para seu dia a dia.

Obrigado pela visita e um forte abraço.

Oracle – url padrão do Enterprise Manager

julho 28, 2009

Eu sempre esqueço qual é a url padrão do Enterprise Manager, via web, do Oracle 11g.

Para quem tem a mesma dificuldade que eu, segue a dita cuja: https://ip_do_servidor:1158/em.

Boa sorte a todos!

Convertendo arquivos do MapInfo para ArcView

julho 20, 2009

Descobri um ótimo utilitário que faz a conversão entre os dois formatos em: http://www.bostongis.com/PrinterFriendly.aspx?content_name=ogr_cheatsheet

Após a instalação, a utilização é super simples e realizada através de linhas de comando do tipo:

ogr2ogr -f “ESRI Shapefile” rio_corrego.shp rio_corrego.tab

Onde rio_corrego.shp é o nome do arquivo convertido e rio_corrego.tab é o arquivo do MapInfo que vai ser convertido.

O executável ogr2ogr encontra-se na pasta

C:\Arquivos de programas\FWTools2.4.2

abraços e boa sorte

Configurando um botão para executar macros no autocad

junho 16, 2009

Este tutorial apresenta a sequencia de operações que devem ser realizadas para se criar um botão personalizado no AutoCad e associar uma macro personalizada a ele.

Primeiro, abra o arquivo que contém a macro. Sobre a parte cinza do menu, clique com o botão direito e selecione “Customize…”

image

Uma nova tela vai se abrir, conforme a figura abaixo. No lado esquerdo, selecione “User defined” e no lado direito “User defined button”. Clique sobre “User defined button”, segure o botão do mouse e arraste para área preta da tela.

image

Um novo toolbar vai ser criado, conforme a figura abaixo.

image

Clique sobre o novo toolbox (botão vazio) que a aba “Button properties” vai se abrir. Preencha os campos com seus respectivos valores:

– Name: GerentecTI

– Description: Acionamento da macro de seleciona RGI por operacional

– Macro associated with this button: -VBARUN BASENORTE

image

No canto inferior direito, selecione o ícone desejado. Neste caso, o ícone escolhido é o planeta saturno.

image

Finalmente, clique sobre “apply”, depois “close” e bom proveito.

Hasta la vista, babies!

Linux Red Hat – Repair Filesystem

dezembro 15, 2008

Hoje o nosso pessoal recebeu um ótimo bom dia de nosso servidor linux red-hat enterprise 11. Uma mensagem de filesystem corrompido e um prompt “Repair Filesystem”.

Solução: executar fsck

Oracle -> ORA-01172 e ORA-01151

novembro 21, 2008

Hoje o Oracle 11g parou de funcionar e ao tentar reiniciar o servidor, me deparei com duas mensagens de erro no log:

ORA-01172: recovery of thread 1 stuck at block 121 of file 3

ORA-01151: use media recovery to recover block, restore backup if needed

Tentei usar o dbv, mas não funcionou.

dbv file=’d:\bkp\users01.dbf’ blocksize=8192;
DBVERIFY: Release 10.1.0.5.0 – Production on Wed Apr 2 20:23:10 2008
Copyright (c) 1982, 2005, Oracle. All rights reserved.
DBVERIFY – Verification starting : FILE = d:\bkp\users01.dbf
DBVERIFY – Verification complete
Total Pages Examined : 640
Total Pages Processed (Data) : 15
Total Pages Failing (Data) : 0
Total Pages Processed (Index): 2
Total Pages Failing (Index): 0
Total Pages Processed (Other): 26
Total Pages Processed (Seg) : 0
Total Pages Failing (Seg) : 0
Total Pages Empty : 597
Total Pages Marked Corrupt : 0
Total Pages Influx : 0
Highest block SCN : 428077 (0.428077)

Tentei o RMAN e parece que vai dar melhores resultados

$ ./rman target /

Recovery Manager: Release 10.2.0.1.0 – Production on Tue Dec 26 19:06:02 2006

Copyright (c) 1982, 2005, Oracle.  All rights reserved.

connected to target database: ORCL (DBID=1125663715)

RMAN> shutdown immediate;

using target database control file instead of recovery catalog
database closed
database dismounted
Oracle instance shut down

RMAN>

RMAN> startup nomount;

connected to target database (not started)
Oracle instance started

Total System Global Area     293601280 bytes

Fixed Size                     1248624 bytes
Variable Size                 79692432 bytes
Database Buffers             209715200 bytes
Redo Buffers                   2945024 bytes

RMAN>RECOVER DATABASE NOREDO; # specify NOREDO because online redo logs are lost

Depois entrar no sqlplus

$sqlplus /nolog

SQL> Alter database open resetlogs